Lugares & Paladares

Lisboa: passeando no Bairro Alto e Chiado

Por Alexandre Massoti – 11/Nov/2015



Mas que tremenda injustiça! Há mais de um ano que me encontro com você, meu assíduo leitor, religiosamente todas as quartas. Escrevi mais de uma vez sobre algumas cidades do mundo, e escreverei outras vezes certamente, mas Lisboa passou em branco. Inaceitável! Munido de meu teclado e minha ainda funcional memória, vamos tirar isso a limpo imediatamente.

Como sempre, essa linda e simpática capital europeia tem muitas e muitas coisas pra se fazer e eu destaco as principais. E comecemos pela barriga!

Quem nunca se deliciou com um pastel de Belém? Essa maravilha gastronômica, diz a lenda, foi "inventada" no seculo 19 no Mosteiro dos Jeronimos, para salvar o caixa dos monges. A região onde era feito o doce era longe do centro, mas para provar o pastel e ainda visitar a Torre de Belém, as pessoas vinham até de barco. A torre continua sendo um marco da cidade, saindo em 9 de cada 10 fotos que os turistas tiram, e a receita do pastel de Belém (ou pastel de nata) é a mesma desde 1837 e permanece em segredo.

Astutamente hoje eles vendem em "canudos" com seis unidades que você vai devorar sorrindo em poucos minutos. Vale lembrar que o Mosteiro dos Jeronimos e a Torre são considerados patrimônio mundial pela
UNESCO.

O Bairro Alto é uma das regiões preferidas de hospedagem do pessoal que gosta de comer bem e conhecer a vida noturna lisboeta. O hotel Bairro Alto fica no coração dessa região. Não é muito perto do metrô, mas caminhar por ali é um passeio fantástico. No terraço do hotel tem uma vista linda para a Ponte 25 de Abril e a Praça Luis de Camões, o café da manhã é uma farândula gastronômica e os quartos são extremamente elegantes e confortáveis.

Depois de subir e descer as ladeiras do bairro, pode pintar uma fome, e a poucos metros do hotel está o Restaurante Tavares. Aberto em 1784, um clássico da cidade, parece um palácio por dentro, e os preços são
para plebeus normais como nós, nada exagerado. Sugerir o bacalhau é chover no molhado falando de Lisboa, mas é isso mesmo, as postas são tão altas que dá pra se esconder atrás delas!

O Chiado é outro bairro que esta sempre inventando e se reinventando, vizinho do Bairro Alto. Em 1988 houve um incêndio que devastou o bairro, mas rapidinho se reergueu, e hoje é a principal região de compras da cidade, com muitas lojas bacanas e descoladas, além de cafés, livrarias e galerias de arte. A Rua Garret é a mais movimentada do Chiado e ali fica mais um dos ícones de Lisboa que é o Café à Brasileira. Não tem jeito, vai ter que parar ali pra tomar um café, e tirar uma foto ao lado da estátua de Fernando Pessoa, um dos frequentadores mais assíduos do café. Aberto em 1905, é mais um lugar que a decoração e arquitetura interna deixa qualquer um babando com tantos espelhos, madeira e mármore. O balcão lota de gente tentando pedir o famoso arroz doce (EU gosto, podem criticar) ou tirando fotos.

Como qualquer lugar concorrido e maravilhoso, basta um pouco de paciência. Falarei mais de outros pratos de bacalhau, azeites, vinhos, região do cais, e várias outras coisas sensacionais que Lisboa tem numa próxima, e mais uma vez farei justiça com essa cidade tão encantadora!

Gostou? Veja o Pacote para Lisboa que separei para você!

Outros roteiros de viagens, entre em contato conosco.

Contato:
(11) 3308-3000
massoti@rosamassoti.com.br