Lugares & Paladares

Otimismo e Roupa Nova!

Por Alexandre Massoti – 01/Jun/2016



As pessoas deveriam viajar despreocupadas, alias, com otimismo, de bem com a vida, sorrindo. Com o peito em festa e o coração a gargalhar (ok, parei!). Eu vou sempre assim e aproveito muito bem minha viagens. Em todos os aspectos. Alguns dizem que eu sou ranzinza, mas é bem diferente de ser negativo. Isso nunca! A máxima "bons pensamentos atraem coisas boas" funciona.

Quem viaja com a nuvem da família Adams sobre o cocuruto, vai se molhar com sua pequena tempestade particular e levar uma chamuscada com alguns raios. Isso é fato.

Num vôo de volta da Europa, entrei com minha sempre presente expectativa positiva, e também com aquele inevitável e inseparável minúsculo medo de voar.

Parênteses: podem rir. Voar é uma das principais atividades da minha profissão, faço isso praticamente desde que nasci, e a idéia ainda não me parece natural. Nunca vai parecer. Estatisticamente falando, é o meio de transporte mais seguro que existe (ganha fácil até de elevador). Mas não nasci pintassilgo. Não é nada que me faça suar frio, taquicardia, tremedeira. Um leve incomodo nos primeiros momentos dos vôos e é isso.

Voltando ao assunto, entrei na aeronave e a comissária me cumprimenta com um grunhido. Deve ter tido uma noite mal dormida. Olho pros lados, encontro meu lugar, sento e... a criança fofa, duas cadeiras atrás da minha, começa a chorar desesperadamente. Vou ter filhos ainda, entendo perfeitamente a situação mas vai ser um vôo longo. O sistema de som do meu assento, pra assistir filmes ou colocar em alguma rádio de músicas super modernas de avião, não funciona. A moça que vai sentar ao meu lado nas próximas doze horas chega, arruma suas coisas e começa a puxar papo. E agora? Tenho certeza que ouço o comandante falar: benvindos ao vôo mais longo de toda a sua vida!

Comecei a desconfiar da minha capacidade de ver o lado rosa das coisas. Já sei. Vou fechar os olhos, colocar uma música do Roupa Nova, que sempre me põe pra cima, esperar o avião decolar e tudo volta ao normal. Afinal, passei estes últimos dias com um grupo muito legal, pessoas bacanas, passeios lindíssimos, comidas melhores ainda... Fé!

Dito e feito! Lentamente as coisas começaram a mudar. A comissária veio servir o jantar (na falta de termo melhor) sem grunhir! Aliás, com a fome que eu estava, o estômago praticamente grudado nas costas, comi até o pudim de isopor e pedi dois tijolinhos, ops, pãezinhos extras . A minha vizinha de poltrona era uma cia excelente. Chef de cozinha, viajada, gente fina, me deu várias dicas de restaurantes e livros bons, e pra coroar é baiana de Salvador, de uma simpatia contagiante. Ficamos amigos. O nenê chorão dormia que dava gosto. E nem precisei do sistema de som da poltrona. Dormi o sono dos justos, por sete horas sem intervalo.

As coisas se encaixam, sempre. Neste caso, a minha receita: otimismo + boa conversa + fome + Roupa Nova no ipod (linda, só você me fascinaaaaa, te desejo, muito além do prazeeeeeer...). Claro que a fórmula muda de pessoa pra pessoa, mas só de saber que vamos VIAJAR, já não é motivo mais que suficiente pra mandar aquela nuvem preta embora? Boa viagem!

Dica da Semana:
Hotel Vista Sol Buenos Aires
site: www.vistasolbuenosaires.com
porque: é NOVO e tem localização fantástica, distância a pé de Puerto Madero!
detalhe: os quartos tem uma decoração “minimalista” mas muito elegante. Vale a pena.